22º Itaipu Rural Show: Biosseguridade na Avicultura atrai atenção dos produtores

9978
O maior risco que podemos ter na produção avícola é não ter um programa de
biosseguridade, pois é parte fundamental de qualquer empresa avícola para reduzir a entrada de enfermidades nos lotes de aves.
Com essa preocupação em evidência, os produtores de aves interessados no tema, puderam acompanhar no 22º Itaipu Rural Show em Pinhalzinho-SC, palestra que abordou a
biossegurança na produção de aves e seus impactos com a Médica Veterinária e consultora
técnica de avicultura na Elanco Animal Health, Jéssica Reple. Público foi recepcionado pelo
responsável técnico de aves da Cooperitaipu Joviano Durigon.
O conceito de biosseguridade na avicultura faz referência de se manter o meio ambiente livre de microorganismos ou com uma carga mínima que não interfira na saúde e na produção das aves. Podemos definir o conceito de biosseguridade como um conjunto de práticas de manejo que são adotadas para reduzir a entrada e transmissão de agentes patogênicos e seus vetores
nas granjas de aves.
Segundo Jéssica, os componentes operacionais de um programa de biosseguridade
consideramos adequados levam em consideração os seguintes fatores: Isolamento, controle
de trânsito, higienização, controle de vetores e tratamentos de resíduos, quarentena,
medicações e vacinações, monitoramento laboratorial, erradicação de enfermidades,
auditorias, educação continuada e um plano de contingência.
Os procedimentos de limpeza, desinfecção, desinfestação, desratização e os demais devem
descrever a realidade prática das atividades da granja, e para isso os funcionários devem
participar com sugestões para a criação destes procedimentos. “A biosseguridade deve fazer
parte da cultura da empresa a tal ponto que todos possam contribuir para o sucesso do
programa”, concluiu a Médica Veterinária.