Altair Silva solicita retorno de cirurgias eletivas e socorro as empresas de transporte coletivo

8343

Na semana marcada para ser o pico da epidemia de coronavírus no Brasil, Santa Catarina já registra mais de 2,6 mil casos e 55 óbitos. Para tentar conter o avanço da doença e os impactos provocados no Estado, os deputados seguem apresentando propostas e discutindo as medidas nas comissões e sessões ordinárias, que nesta semana voltam a ser presenciais direto da capital.

O deputado Altair Silva encaminhou novos pedidos ao Governo do Estado, dessa vez para liberar progressivamente as cirurgias nos hospitais, sem comprometer o tratamento dos pacientes com Covid-19. A intenção do parlamentar, é que as cirurgias eletivas suspensas devido a pandemia possam ser retomadas, principalmente por representarem uma fonte de recursos importante para os hospitais. “Com todos os cuidados necessários é importante a retomada, porque esses recursos garantem a manutenção da estrutura e o pagamento de funcionários. Além disso, temos alguns municípios que não confirmaram nenhum caso até agora e suas estruturas estão paralisadas e reservadas exclusivas para atendimento de possíveis pacientes com coronavírus”, relatou o deputado.

Transporte paralisado

Além das cirurgias eletivas, está suspenso no Estado desde o dia 19 de março, as atividades nas unidades de ensino de forma presencial. O último decreto publicado pelo Governo do Estado, na última semana, prorroga por tempo indeterminado a proibição da circulação do transporte coletivo e as aulas presenciais. Parte das instituições de ensino, implantaram medidas para manter as aulas, mas de forma remota, por meio da chamada educação a distância, e as empresas estão se adaptando de acordo com a realidade de cada município para transportar seus funcionários.

Nesse cenário, o principal impacto foi sobre as empresas que realizam o transporte coletivo. Para resguardar os empregos e também a permanência das empresas no mercado, o deputado Altair Silva, encaminhou uma indicação ao governador do Estado, Carlos Moises, para liberar uma linha de crédito direcionada às empresas de transporte coletivo municipal e intermunicipal, por intermédio do Badesc. “A atual instabilidade econômica gerada pela pandemia nos obriga a criar políticas públicas eficientes e voltadas aos segmentos que mais necessitam de auxílio, e uma linha de crédito a essas empresas, traz tranquilidade ao setor, até porque o custo mais elevado nesse momento é a folha de pagamento dos funcionários, que não mudou”, frisou.

Além disso, o parlamentar destaca no documento, que o transporte é um serviço público essencial e que depois do isolamento social, todos retomam suas atividades integralmente. “É um serviço público que assegura o direito de ir e vir a toda a população. Uma possível falência das empresas poderá acarretar em um prejuízo ainda maior para o Estado”, alerta Altair.

Mauro Maurício Biondo