Atletas de Santa Catarina focam os Jogos Olímpicos Tóquio 2020

8307

A 500 dias para a Olimpíada de Tóquio, em 2020, cinco modalidades estarão pela primeira vez no programa olímpico. A inclusão de surfe, skate, beisebol/softbol, escalada e caratê foi confirmada pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) há três anos, durante os Jogos do Rio de Janeiro, em 2016, e desde então brasileiros que se destacam nesses esportes têm se preparado em busca da classificação e, principalmente, de medalhas.

Santa Catarina, aliás, estará bem representada. O Estado é destaque em pelo menos três das cinco modalidades estreantes. Florianópolis, por exemplo, é considerada a capital brasileira do skatepark. O campeão mundial Pedro Barros é nascido na cidade, bem como Yndiara Asp e Isadora Pacheco, destaques no feminino. O trio certamente deve estar entre os 12 skatistas (seis homens e seis mulheres) do país nos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020.

– Só de falar já arrepia tudo, o coração bate mais forte, porque, pô, a gente cresceu assistindo a Olimpíada e ter a chance de estar lá, presenciar esse evento, essa experiência, acho que vai ser uma das mais incríveis da vida, então se eu conseguir estar lá quero aproveitar cada minuto disso e ter muita história para contar – destaca Yndiara Asp, campeã da temporada 2018 do STU, o Circuito Brasileiro de skate, e também membro da seleção brasileira.

Herdy
Herdy conquistou título do mundial júnior em 2018

(Foto: Betina Humeres, Diário Catarinense)

Além dos skatistas, o Brasil também vai forte em busca de medalhas também no surfe. O país terá quatro vagas – duas no masculino e duas no feminino. Santa Catarina tem tudo para estar bem representada. Campeão mundial em 2015, Adriano de Souza, o Mineirinho, reside e treina em Florianópolis desde 2010. A cidade ainda conta com outros talentos, como o jovem Mateus Herdy, que no ano passou foi o melhor do mundo na categoria júnior, além de Yago Dora, Tomas Hermes, Willian Cardoso, Ian Gouveia e Michael Rodrigues.

No feminino, Santa Catarina deve ter Tainá Hinckel. Campeã sul-americana e brasileira na categoria sub-18, ela é natural da Guarda do Embaú e surfa desde os seis anos de idade. Caso a catarinense se classifique, já sabe onde vai competir. O Comitê Tóquio 2020 definiu que o surfe acontecerá na praia de Tsurigasaki, em Chiba, a 60km da capital japonesa. A disputa terá 20 homens e 20 mulheres e será em dois dias, podendo ocorrer no período que a organização considerar mais favorável.

Brose
Brose é o principal nome do caratê brasileiro

(Foto: Leo Munhoz, Diário Catarinense)

Bicampeão mundial em 2010 e 2014 e medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos de Toronto, em 2015, Douglas Brose é o catarinense rumo ao Japão. O carateca luta na categoria -60kg e persegue a classificação, que é o primeiro passo para chegar forte e brigar pelo pódio. Cada vez mais perto da Olimpíada 2020, ele sabe o quão importante é conseguir uma boa sequência nas competições para que a vaga seja garantida o quanto antes.

– Disputar uma Olimpíada é um grande sonho meu, e estou correndo atrás disso, sem nenhuma pressão. É algo que eu quero muito, não estou fazendo isso porque alguém está me exigindo – fala Brose, que busca os pontos necessários para ter uma boa colocação no ranking através das etapas da Liga Mundial.

O Comitê Tóquio 2020 estima o acréscimo de mais de 400 atletas em 18 disputas por medalhas nos Jogos Olímpicos por conta da inclusão das cinco modalidades. Os Jogos Olímpicos serão disputados entre os dias 24 de julho e 9 de agosto.

NSC/Foto: Júlio Detefon, Divulgação