Cão e bombeiro de Xanxerê viajam com destino a Brumadinho (MG)

8819

Uma barragem da mineradora Vale se rompeu ainda na sexta-feira (25) em Brumadinho, na região metropolitana de Belo Horizonte, em Minas Gerais. Até o momento, há 65 mortes confirmadas – 31 vítimas foram identificadas. Autoridades dizem que a quantidade de mortos deve aumentar. Há também 288 pessoas desaparecidas.

Às 17h40min desta terça-feira (29) o comandante do 14º Batalhão do Corpo de Bombeiros de Xanxerê, tenente coronel Walter Parizotto, anunciou que a equipe que estava mobilizada, de Santa Catarina, está partindo em direção a Brumadinho. Dentre eles, está o bombeiro Joscley e o cão Iron.

Números da tragédia

65 mortos confirmados – 31 identificados

288 desaparecidos

192 resgatados

390 localizados

 

Das 31 vítimas já identificadas, 18 eram funcionários da Vale e 13, terceirizados ou moradores da comunidade. Entre os desaparecidos, 114 são funcionários da mineradora e 174 são terceirizados ou moradores da região atingida pela lama.

Nesta segunda-feira (28), nenhuma vítima foi encontra com vida, segundo o Corpo de Bombeiros.

As buscas nesta terça começaram pouco depois das 6h. Segundo o Corpo de Bombeiros, a operação desta deve priorizar a área em que possivelmente ficava o refeitório onde almoçavam funcionários da Vale no momento da tragédia.

As equipes usam helicóptero para fazer o transporte dos corpos retirados da lama.

Participam dos trabalhos 290 militares, sendo 120 de Minas Gerais e os outros de São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Goiás e Alagoas. Em nota, os Bombeiros de Minas Gerais afirmaram que os militares israelenses também atuam na chamada “área quente”.

De acordo com Aihara, a tropa da ajuda oferecida por Israel trouxe equipamentos para mapeamento de celulares, sonares, radar que detecta o tipo de material que está no local e drones ligados a satélites para mapear a área atingida. Um dos equipamentos israelenses é capaz de encontrar pessoas com vida a 30 metros de profundidade.

Com a lama cada vez mais sedimentada e menos fofa, as buscas ficam mais arriscadas. Para evitar que o corpo afunde, os bombeiros precisam rastejar.

Apesar de a lama dificultar a sobrevivência, os bombeiros não descartam a possibilidade encontrar pessoas com vida.

 

O rompimento

O rompimento aconteceu na região do córrego do Feijão, na altura do km 50 da rodovia MG-040. Um helicóptero da corporação sobrevoa a região. Ainda não há informações sobre vítimas.

Com 14 hectares de visitação, o parque, localizado no próprio município de Brumadinho, conta com um dos mais importantes acervos de arte contemporânea do país, além de uma coleção de espécies raras de todos os continentes.