Casal de Iporã do Oeste celebra 70 anos de casamento

8629

O casal Silvestre e Hilda Welter, de Linha Macucozinho, interior de Iporã do Oeste/SC, comemorou na quarta-feira, 19, as Bodas de Vinho, que correspondem a 70 anos de matrimônio. Para comemorar a data, a família realizou celebração religiosa na comunidade, restrita aos familiares, com o padre Anselmo Spies.

Silvestre Welter, hoje aos 96 anos, nasceu no dia 02 de janeiro de 1925, em Selbach, então município de Carazinho/RS. É filho de Guilherme e Paulina Welter. O nascimento de Hilda Spies Welter, hoje aos 92 anos, foi no dia 29 de junho de 1928, em Arroio Augusto, então município de Estrela/RS. É filha de Germano e Ana Spies. Silvestre chegou a servir exército em Ponta Grossa, no Paraná, e já morava em Porto Novo quando Hilda veio na região, na época para trabalhar como babá e empregada doméstica.

SURGIMENTO DE UMA UNIÃO QUE GEROU RAÍZES

Os dois se conheceram num baile em Linha Macuco/São João do Oeste, namoraram por oito meses e se casaram no dia 19 de maio de 1951, em Linha Arroio Augusto/Estrela. Moraram por um ano na comunidade de Linha Chapéu/Itapiranga e depois se mudaram para Macucozinho, em 1952. Levaram a mudança de carroça e a primeira construção foi um galpão de chão batido.

Havia dificuldades enormes, principalmente em casos de doenças, nas quais o paciente precisava ser levado de carroça para Linha Chapéu. De lá um jipe transportava para o hospital de Itapiranga. Todo trajeto para obter atendimento médico demorava quatro horas. Com fé em Deus, oração, trabalho e devoção à Nossa Senhora, superaram todas as dificuldades e criaram os 14 filhos que nasceram desta união.

Os filhos nasceram em casa, em Macucozinho, e são os seguintes: Teresinha, Tarcísio, Anita, Ana, Adácio, Anísia (em memória), Teonísio, Adelita, Lucena, Selécia, Sônia, Laurício, Renício e Leonício. Entre os descendentes vieram ainda 36 netos (dois falecidos) e 34 bisnetos. Um genro do casal também é falecido.

PARTICIPAÇÃO NA COMUNIDADE, LAZER E PERSEVERANÇA DO CASAL

Silvestre e Hilda Welter participaram de forma ativa nos trabalhos da igreja da comunidade, inclusive em diretorias. Hoje o maior divertimento deles são os encontros de idosos, além de jogar carta com os filhos. Gozam de boa saúde e expressam a alegria em ver filhos, netos e bisnetos felizes.

Segundo o filho Leonício Welter, nos tempos de juventude dos pais não havia estradas, o que exigiu derrubarem árvores com serrote. Compara a superação deles com o Evangelho do início de maio, que falava da árvore e do tronco. A árvore precisa de raízes profundas e terra bem adubada para sobreviver, e foi isso que Silvestre e Hilda tiveram: Deus em primeiro lugar e o exemplo da Sagrada Família, padroeira da comunidade de Macucozinho.

Foto: Jornei de Souza/Portal Peperi