CHAPECÓ
Destaques Dia Mundial da Alergia: Por que tem aumentado tanto os casos de...

Dia Mundial da Alergia: Por que tem aumentado tanto os casos de alergia

9027

*Estima-se que 1 em cada 3 pessoas tem alguma alergia*

No dia 08 de julho é comemorado o Dia Mundial da Alergia. A data, definida pela Organização Mundial da Saúde (OMS), foi criada com o intuito de alertar as pessoas sobre a importância do assunto, já que em alguns casos a alergia pode causar a morte.
O mecanismo que dispara a alergia é o mesmo que o sistema imunológico usa para defender o corpo de substâncias possivelmente nocivas. Porém, em algumas pessoas, o organismo apresenta uma sensibilidade anormal desencadeada por alguma substância que costuma ser inofensiva, como um alimento ou mesmo a poeira da casa.
Você já parou para pensar como tem aumentado os casos de alergia? Alergia alimentar então, nem se fala! Mas, por que será que isso vem acontecendo? Estima-se que 1 em cada 3 pessoas tem alguma alergia e em 10-20 anos cerca de 50% da população terá algum tipo de alergia ao longo da vida.
Alergista e Imunologista, Dra Andressa Zanandréa, destaca que as alergias são causadas por uma desregulação do sistema imune e são diversos os fatores que podem ocasionar isso:
• Uso de antibióticos indiscriminadamente.
• Desregulação da flora intestinal, seja por uso excessivo de medicamentos ou por infecções.
• Parto cesáreo ao invés do vaginal (isso muda a colonização de bactérias boas no corpo do bebê).
• Introdução alimentar tardia (ideal a partir dos 6 meses de vida – somente restringir alimentos por orientação médica).
• Alimentação pobre em fibras, com excesso de açúcar e rica em gorduras.
• Teoria da Higiene – não ter contato com a terra, grama, areia, com animais, com ambientes ao ar livre aumenta a chance de alergias.
• Retirar o vérnix logo ao nascer (aquele “creme” branco que o bebê tem na pele ao nascer)! Esse “creme” é proteção!
• Usar fórmula de leite nos primeiros 3 dias de vida. Claro que existem casos que isso é inevitável!
Quando as crises são frequentes, existem casos que o indivíduo precisa recorrer à imunoterapia, tratamento com vacinas e medicamentos orais, que ajudam a evitar ou prolongar o espaço de tempo entre uma crise e outra. Em casos extremos, como anafilaxia, é preciso fazer o uso de adrenalina.
Dra Andressa alerta que é preciso prestar atenção em como está levando a vida. ”Você pode mudar vários desses fatores. Seja consciente e busque a prevenção dessas doenças”.

Secured By miniOrange