CHAPECÓ

    Faesc celebra o Dia “A” da Plena Erradicação da Febre Aftosa no Brasil em Chapecó

    11
    Matéria de capa CH News

    Santa Catarina comemora o Dia “A” da Plena Erradicação da Febre Aftosa no Brasil. Na manhã da última quinta-feira, autoridades, produtores e entidades do agronegócio se reuniram, a convite da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (Faesc), em Chapecó para celebrar a conquista.

    O estado está livre da febre aftosa sem vacinação desde maio de 2007, mas o trabalho vem sendo realizado desde a década de sessenta. O presidente da Faesc, José Zeferino Pedrozo ressaltou que isso é um adianto para Santa Catarina perto dos outros estados que ainda necessitam da vacinação. Pedrozo afirma também que comemorar a conquista com os outros estados anima os produtores e cria entusiasmo.

    Presidente da Faesc afirmou que celebrar o Dia “A” com os outros estados é uma conquista. (Foto: Marina Folle Schielke)

    O presidente da Faesc não poupou palavras para salientar a importância da conquista. “O dia A foi criado pelo Ministério da Agricultura, com apoio da Confederação Nacional da Agricultura, a qual nós (Faesc) somos filiados. O objetivo era reunir todos aqueles que estão envolvidos no setor de carnes do Brasil para uma cerimônia comemorativa a conquista do certificado de que o Brasil está totalmente livre de febre aftosa sem vacinação”, disse.

    Atualmente, Santa Catarina é o único estado do Brasil a estar na posição de febre aftosa erradicada sem vacina, mas a celebração é conjunta. “É verdade que Santa Catarina está em um estágio avançado, nós já vamos para 11 anos de erradicação sem vacinação. Porém, como brasileiros temos que vibrar, porque é uma conquista para todo o mercado nacional de carne. Foi por isso que nós nos engajamos nesta campanha”, afirmou Pedrozo.

    O superintendente do Ministério da Agricultura afirmou que até 2023 o plano é que todos os estados tenham febre aftosa erradicada sem vacina. (Foto: Marina Folle Schielke)

    Para o Superintendente do Ministério da Agricultura, Michel Tavares Assis, receber o certificado deve ser um motivo para comemorar. Com esse título, os mercados de produtos de origem animal aumentam, desta forma melhora a economia e a produção, fortificando o estado.  “Santa Catarina é modelo para o país. O estado é livre de febre aftosa sem vacinação, então todos hoje querem ser iguais a Santa Catarina. O nosso estado já consegue colher bons frutos devido a essa condição, já alcança muitos mercados de produto de origem animal. Inclusive, já consegue exportar animais vivos. Recentemente ocorreu a exportação de bovinos vivos para a Turquia, então essa é uma condição apenas do estado de Santa Catarina”, celebra.

    Assis também ressaltou que o certificado de Plena Erradicação da Febre Aftosa no Brasil será entregue em Paris, durante a reunião anual da Organização Internacional de Epizootias (OIE), e que os voos ainda serão mais altos. “Existe a pretensão do Ministério que é obter o certificado de livre de febre aftosa sem vacinação. Ou seja, todos os estados possuírem a mesma condição de Santa Catarina. Existe uma pretensão de até 2023 todo o país alcançar essa posição. É claro que deve demorar uns cinco anos, que é um pais com dimensões continentais, mas é uma previsão ousada, mas o ministério da agricultura já esta trabalhando com essa data”, finaliza.

    Secured By miniOrange