Festa “Funk Vírus” é interrompida por aglomeração de pessoas em SC

9783

No mesmo dia que Joinville registrou mais três mortes por Covid-19, chegando a 20 desde o início da pandemia, um evento controverso chamou a atenção da Polícia Militar.

A festa “Funk Vírus”, realizada na boate Tchupitos, foi interrompida por volta das 23 horas de quarta-feira (27), quando, segundo a PM, ao menos 80 pessoas estavam no local, a maioria sem máscara e não respeitando o distanciamento mínimo.

A realização do evento vai contra o decreto estadual 562/2020, que proíbe “as atividades em cinemas, teatros, casas noturnas, bem como a realização de shows e espetáculos que acarretam reunião de público”.

Ainda assim, a “Funk Vírus” foi anunciada nas redes sociais dos DJs – o cartaz faz menção de que o evento estaria adaptado com as normas da Organização Mundial de Saúde, e nos stories do Instagram um dos divulgadores afirma que somente as primeiras pessoas poderiam entrar na casa, sem indicar quantos teriam o acesso.

Conforme o boletim de ocorrência da PM, uma primeira abordagem foi feita às 22 horas, quando ainda não havia um grande volume de pessoas no local. Pouco mais de uma hora depois, porém, a polícia retornou e verificou uma série de irregularidades, com aglomeração e desrespeito ao distanciamento mínimo de 1,5 metros. A “Funk Vírus”, então, chegou ao fim.

O proprietário da boate, Deokar Machado Lopes, considerou a batida como normal e disse que a casa não estava irregular, mas admitiu que pode ter errado ao propor um evento durante a pandemia, principalmente com um nome que faz alusão ao coronavírus. Ele irá responder a um termo circunstanciado.

Também no Instagram, um dos DJs afirmou que menos de 30 pessoas estavam na festa durante a abordagem. Para ele, o evento não seria um problema porque outros bares de Joinville também estão abertos e sem respeitar o distanciamento mínimo, e como ele é contratado pela casa e tem contas a pagar não poderia rejeitar o trabalho.

Com informações ND Mais

FONTE: CHAPECÓ.ORG