CHAPECÓ
Entretenimento Governo Municipal de Xaxim realiza ações de prevenção ao suicídio

Governo Municipal de Xaxim realiza ações de prevenção ao suicídio

9698

O movimento “Setembro Amarelo”, realizado pelo Governo Municipal através da Secretaria de Saúde, é reforçado pelo Centro de Atenção Psicossocial de Xaxim, (Caps), que atende pacientes em situação de vulnerabilidade emocional e os estimula a ter entusiasmo e força de vontade para superar os problemas. Na manhã desta sexta-feira (13), na parte externa da Prefeitura Municipal, foi fixado o laço que simboliza a campanha. O suicídio é a terceira maior causa de morte a nível mundial, aproximadamente uma morte a cada 40 segundos, totalizando aproximadamente 26 mortes por dia. No Brasil são 28 mortes a cada uma hora.

 

Setembro Amarelo

O mês de combate ao suicídio é estimulado mundialmente pela Associação Internacional pela Prevenção do Suicídio (IASP) e tem como objetivo sinalizar locais públicos com faixas ou símbolos amarelos. No Brasil, já se tornou um problema de saúde pública com o registro de aproximadamente nove mil suicídios por ano.

 

O suicídio é considerado um problema de saúde pública e a medida mais eficaz para evitar a ação, é intensificar medidas preventivas. Saiba como auxiliar:

– É importante levar a pessoa a sério, manter a calma e deixar que ela desabafe;

– Descobrir se a pessoa possui planos específicos e qual o método de suicídio que pretende recorrer (para que você possa eliminar os instrumentos).

– É igualmente importante não prometer confidencialidade, pois poderá ser necessário falar com amigos, familiares ou técnicos da saúde;

– Reconhecer os sentimentos da pessoa, oferecer confiança, ser empático e não criticar;

– Ajudar a pessoa a pensar em outras possibilidades para resolver o problema que está passando com ajuda especializada de médico, psicólogo ou outros profissionais;

– Considerando que o suicídio é um ato tendencialmente impulsivo e que corresponde a um período em que a pessoa está mais confusa e fragilizada, é fundamental não a deixar sozinha;

– Procurar centros de atenção especializada como CAPS ou profissionais da saúde;

Gilnei Silvério/Assessoria de Comunicação