Imetro-SC completa 15 anos em Santa Catarina

9594

O Instituto de Metrologia de Santa Catarina (Imetro-SC) completa nesta sexta-feira, 28, 15 anos, como referência nacional com trabalho de excelência. Desde que o pioneiro Luiz Carlos de Cristo chegou em Joinville para promover as primeiras verificações de pesos e medidas em Santa Catarina, em meados de 1966, a metrologia no estado cresceu, se desenvolveu e ganhou autonomia.

O Imetro-SC foi criado em 28 de fevereiro de 2005 como autarquia estadual, pela Lei Complementar n° 284. A instituição está vinculada à Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável. Mas sua história de evolução teve início ainda no século passado, com os precursores da metrologia no território barriga-verde.

“Órgão de destaque e referência nas atividades metrológicas do país, há muito contribui no desenvolvimento da atividade no Brasil, com a expertise do quadro técnico, e a força de trabalho de seus servidores. Um orgulho para Santa Catarina, e privilégio para o consumidor, que tem, no Imetro-SC, órgão soberano na defesa do consumidor e da qualidade de vida do povo catarinense “, avalia o presidente Rudinei Floriano.

“O Imetro-SC é reconhecido por sua atuação e papel fundamental na aferição, qualidade e compromisso com os catarinenses, trazendo segurança para um desenvolvimento de excelência no Estado”, destaca o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável, Lucas Esmeraldino.


Presidente do Imetro-SC, Rudinei Floriano

Referência no Brasil

Já em 1985 o Imetro-SC mostrava que estava na vanguarda. Ganhou destaque ao criar o primeiro Núcleo Têxtil do país. Foram contratados quatro técnicos, e a iniciativa se transformou em referência nacional. “A área têxtil só funcionava no Imetro nacional, que tinha laboratório e uma gerência. Como Santa Catarina era polo, então se observou a necessidade de criar aqui um Núcleo Têxtil dentro da superintendência”, lembra Maurício Martins, o primeiro presidente da casa. Martins comandou o órgão nos primeiros quatro anos, de 1984 a 1988, e segue até hoje no instituto.

Neste mesmo ano, o Imetro iniciou um trabalho na fiscalização de cargas perigosas. Foram contratados engenheiros, técnicos e especialistas em cargas perigosas. “O trabalho do órgão foi desenvolvido durante vários anos. Quando era necessário algo, dar treinamento, cursos, Santa Catarina sempre foi referência”, explica o dirigente.

“Atualmente, os técnicos do Imetro-SC ministram cursos, treinamentos, trabalham como monitores na área de balança, colaboram com cursos profissionalizante de Metrologia Legal, no Paraná, Rio de Janeiro”, aponta Hercílio Bez, gerente de Metrologia. “Também atuamos na supervisão do trabalho de outros estados, como Bahia, Mato Grosso, Minas Gerais, Tocantins e Pernambuco”, acrescenta.

Fotos: Divulgação / Imetro/Secon