CHAPECÓ
Destaques Industriais do Oeste em Vargeão conhecem processo de compras da Nestlé Purina

Industriais do Oeste em Vargeão conhecem processo de compras da Nestlé Purina

9878

Com previsão de investimentos de R$ 1 bilhão, o novo parque industrial da multinacional Nestlé Purina em Vargeão (SC) deve iniciar as operações no fim de 2023. As obras iniciaram em abril deste ano e durante as etapas de construção serão contratados 1,8 mil profissionais terceiros. A previsão de contratação nos próximos anos é de 200 profissionais, além da fábrica demandar insumos da agroindústria local e gerar valor agregado para as cadeias produtivas da avicultura e da suinocultura.

Para apresentar dados e índices sobre o grupo e explicar como as empresas podem ser fornecedoras da multinacional, a Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (FIESC), em parceria com a Nestlé Purina, realizou nesta terça-feira (5), a Feira de Fornecedores – Edição Chapecó, no SENAI. O encontro reuniu industriais da região que conheceram os procedimentos e a lista de produtos, insumos, componentes, matérias-primas, equipamentos e serviços demandados para compra pela nova unidade da Nestlé Purina em Vargeão. Também foram esclarecidas dúvidas técnicas e detalhado o passo a passo de como efetivar o cadastro do fornecedor.

O presidente do Sistema FIESC, Mario Cezar de Aguiar, participou remotamente e salientou que a nova fábrica da Nestlé Purina contribuirá para o desenvolvimento do estado e fortalecerá diversos setores da economia. “O Oeste catarinense tem importante participação no PIB de Santa Catarina. O estado tem um comércio internacional forte em função do que é produzido no Oeste e nova fábrica da Nestlé vem para somar, ajudando SC a se desenvolver”. Aguiar ressaltou que a FIESC colocou à disposição da Nestlé Purina a infraestrutura das unidades externas de SESI e SENAI para organizar, junto às Vice-Presidências Regionais, presidentes de sindicatos e industriais toda a comunicação necessária para o aproveitamento de oportunidades comerciais de fornecimento local/regional para a nova unidade da empresa em Vargeão.

A coordenadora desta força-tarefa, Maria Teresa Bustamante, chefe de Gabinete e responsável pelas ações de internacionalização promovidas pelo Sistema FIESC, disse que o evento de Chapecó foi o terceiro a ser realizado no estado. Foram promovidos encontros semelhantes em Criciúma e em Joinville. “É um trabalho em parceria e um dos benefícios para a indústria é que, ao se cadastrar para a venda local em SC, automaticamente passa a estar apta a ofertar seus produtos para esta empresa, seja para venda às unidades da Nestlé Purina no mercado nacional ou para exportar a qualquer unidade no exterior. Uma oportunidade única de ampliar o leque de venda dos produtos catarinenses”, frisou.

O gerente executivo de compras da Nestlé, Marcelo Santos, conduziu a apresentação da empresa. Ele explicou que existem processos internos que precisam ser cumpridos para manter a padronização, a organização fluindo e a qualidade. “Estamos sempre buscando novas modalidades de fornecedores. Encontros nesse formato estamos fazendo pela primeira vez. Queremos eliminar barreiras e comprar tudo o que for possível de empresas do Estado”, enfatizou, ao acrescentar que a área de cadastro de fornecedor está no site nestle.com.br.

O empresário Carlos Martinelli, da Açoperfil, realçou que o evento foi um momento de articulação que oportunizou para as empresas a participação no processo de seleção de fornecedores para a nova fábrica da Nestlé Purina. “Isso vai gerar valor para as cadeias produtivas da região com o aumento da demanda por insumos da agroindústria existente, tanto por proteína animal quanto no consumo de grãos, insumos essenciais para o setor de petfood. Além disso, vai gerar empregos e demandará de uma série de produtos e serviços que também beneficiarão outros segmentos”.

SOBRE A FÁBRICA DE VARGEÃO

A pedra fundamental do novo parque industrial da empresa em Vargeão foi lançada pela Nestlé Purina e pelo Governo do Estado de Santa Catarina no fim de 2021. O investimento previsto para a primeira fase da unidade, que vai de 2022 a 2023, é de R$ 1 bilhão – a projeção de investimentos no projeto completo chega a R$ 2,5 bilhões. Esse é o maior investimento da Nestlé para a construção de uma unidade fabril desde 2017, quando a empresa inaugurou a planta de Montes Claros (MG).

A nova unidade será construída para atender à crescente demanda dos mercados interno e externo por alimentos úmidos para cães e gatos, acelerar o crescimento da companhia e ajudar a consolidar o Brasil como uma importante plataforma de exportação para outros países da América Latina, Estados Unidos e Europa. A nova unidade para produção é destinada principalmente à exportação e ao abastecimento no mercado interno no Sul do Brasil. A estimativa é de que 50% da produção seja destinada para exportação.

A fábrica já nascerá no conceito de indústria 4.0, com uma tecnologia inovadora e exclusiva de Purina para alimentos úmidos, com capacidade ampliada de produção em razão das linhas automatizadas e do uso de robôs em operações como envase, empacotamento e esterilização, o que torna o processo mais ágil e seguro.

Secured By miniOrange