CHAPECÓ

    Inspirada em Muricy: conheça a única mulher que comanda um time masculino na elite do Brasileiro

    9

    Entre os times que disputam a Série A do Campeonato Brasileiro, apenas um deles tem uma mulher como técnica de uma de suas equipes masculinas de futebol de campo, ao menos na base: a Chapecoense. Ela é Nivia Maria Bezerra de Lima, tem 36 anos e comanda os meninos da categoria sub-12 do clube catarinense desde o início do ano passado.

    “Por parte das crianças, nunca sofri preconceito; o gênero é o que menos importa para eles. Mas precisei provar para os pais que eu era capaz. Alguns chegaram a ir até meu chefe questionar minha contratação. O impacto de ver uma mulher à beira do campo foi um choque. Isso durou um ano. Mas foram me conhecendo e, hoje, é tranquilo. Para mim, é um orgulho e agradeço à Chapecoense. Ensinar e trabalhar com esporte era meu sonho”, contou ao espnW.

    Nívia nasceu em Recife (PE) e lá começou a jogar futebol, no Sport. Alternando entre fustal e campo, defendeu o São Paulo e foi para o Paraná, convidada para defender o Unopar/Londrina, na quadra. Nessa época, entre 2004 e 2010, se formou na faculdade de Educação Física. No ano seguinte, recebeu outro convite, o que mudaria sua trajetória: foi a Chapecó defender a camisa da Chapecoense.
    Enquanto jogava, começou a trabalhar nas escolinhas da Associação Female Futsal (projeto em parceria com a prefeitura), dando aula no futebol feminino para meninas de 13 e 14 anos. Foi então que descobriu sua vocação, desistiu da carreira de atleta e se tornou técnica nas escolinhas da Chapecoense. Na época, o clube de Santa Catarina estava na Série C do Brasileiro e só tinha base a partir do sub-17.

    O cenário começou a mudar em 2014, quando disputou a Série A do nacional pela primeira vez. Com mais dinheiro entrando, a Chapecoense conseguiu aumentar suas categorias de base no ano passado, e Nivia foi convidada para assumir o posto de técnica da equipe sub-12 e auxiliar técnica da sub-13. Em seu primeiro ano de existência, os meninos comandados por ela chegaram às semifinais da BG Prime, tradicional competição do Sul do País que reúne expoentes como Internacional e Grêmio.
    Fonte: ESPN