CHAPECÓ
Notícias Joinville pode sofrer com aumento de preços causados pela guerra na Ucrânia

Joinville pode sofrer com aumento de preços causados pela guerra na Ucrânia

8856
Beautiful landscapes of the interior of Santa Catarina, with its mountains, pastures, trees and other beauties. Photo taken in Santa Catarina, Brazil on 04/06/2014. Foto no portal de entrada da cidade de Joinville,

Moradores de Joinville e de toda Santa Cataria já devem ser preparar para os impactos da guerra entre Rússia e Ucrânia. As estimativas feitas no início do conflito foram atualizadas e não são nada positivas.

Além da questão do PVC, que afeta a indústria de plástico, diversos aspectos podem aumentar a inflação e causar reflexos em todas as áreas econômicas.

A Rússia, por exemplo, é grande exportadora de fertilizantes. Os brasileiros costumavam exportar esse material, algo que não é possível no momento.

De acordo com Andrei Vinícius da Rosa, presidente do Núcleo de Negócios Internacionais da Associação Empresarial de Joinville (Acij), a estimativa é que nosso estoque dure até meados de setembro ou outubro. Depois disso, caso o conflito não esteja resolvido, haverá a necessidade de procurar outros fornecedores.

É a partir daí que os valores podem ficar mais altos, principalmente devido à alta demanda. Alimentos ficam com preço mais caro e a cesta básica infla em custos.

Outro produto que poderemos sentir impacto será o pão francês de cada dia. O Brasil exportava trigo tanto da Rússia quanto da Ucrânia, gerando a necessidade de encontrar novos fornecedores.

Segundo Andrei não para por aí: ”O petróleo está aumentando bastante e isso impacta o preço dos combustível pra nós, toda a cadeia de transportes na verdade. Por consequência, isso também vai aumentar o preço dos produtos nos supermercados”.

A longo prazo vamos ter que aguardar os desdobramentos. Afinal, de acordo com o presidente do Núcleo de Negócios Internacionais da Acij, nem sempre procurar um fornecedor em outro país é algo ruim. Dessa maneira, é possível estreitar laços e tirar a dependência de um único país.

Pórtico – Foto: iStock/Divulgação
Secured By miniOrange