Kadu exalta trabalho e concentração para alcançar a vitória

9252

No último domingo – quando a Chapecoense, infelizmente, sofreu revés diante do Marcílio Dias – três atletas fizeram as suas estreias com a camisa verde e branca. Entre eles, um dos destaques foi o zagueiro Kadu, de 33 anos, que demonstrou experiência e segurança no setor defensivo do Verdão.

Na tarde desta terça-feira (11), antes de iniciar as atividades no CT da Água Amarela, o atleta conversou com a imprensa sobre o atual momento da equipe e foi enfático ao destacar que não tem faltado trabalho. “Em nenhum momento, a gente deixou de trabalhar, Mesmo com os resultados negativos. A gente fica frustrado. Viemos aqui todos os dias, fazemos tudo certinho, o professor passa mapeado pra gente tudo o que vai acontecer e chega lá na hora, as coisas não acontecem como a gente quer. Mas a melhor maneira é estarmos sempre de cabeça erguida e trabalhar. A gente não pode fugir disso. Nós, que somos experientes, sabemos que no futebol muda a chave rapidinho. Daqui a pouco, com uma vitória, muda tudo, a galera pega confiança… eu acho que está faltando isso”.

Além do empenho do grupo de atletas, Kadu fez questão de exaltar a dedicação do técnico Hemerson Maria.  “O professor trabalha, nunca vi um cara trabalhar igual ele trabalha. Tenho a experiência de ter pego vários treinadores, mas a gente vê a dedicação do cara. Procura estudar sempre o time adversário pra passar pra gente. Nós ficamos triste quando o resultado não vem, mas a única coisa que podemos fazer é seguir trabalhando cada dia mais em busca do êxito”.

Avaliando o atual momento da Chapecoense, o zagueiro viu como positivos os últimos desempenhos da equipe e falou o que está faltando para o time se encontrar com as vitórias. “A diretoria está fazendo tudo certo. A comissão técnica… está sendo feito tudo conforme o programado. Mas futebol são detalhes, a gente precisa dos três pontos, que é o que não está vindo no momento. Mas, como eu falei, um jogo muda tudo. Quem viu o nosso último jogo – com todo o respeito às equipes que a gente enfrentou nesses primeiros cinco jogos – a gente tem perdido pra gente mesmo. Temos volume de jogo, temos planejamento, temos organização, temos tudo. Mas na hora da tomada de decisão, de matar o jogo, não estamos concentrando o bastante”.

Por fim, Kadu considerou cabíveis as cobranças da torcida, mas ressaltou a importância do apoio no jogo do próximo sábado (15), contra o Criciúma, para conquistar os três pontos. “O torcedor da Chapecoense, pela história do clube, é um torcedor apaixonado. Eu acredito muito neles, sei que não vão nos abandonar, independente da fase em que a gente está. Nós temos o conhecimento de que precisamos ganhar o mais rápido possível e a gente precisa muito deles no sábado. Temos um adversário difícil, mas a total condição de fazermos um grande jogo e conquistarmos a primeira vitória no campeonato”.

Por Alessandra Seidel