CHAPECÓ
Notícias Ministra da Agricultura visitará Santa Catarina para avaliar os impactos da estiagem...

Ministra da Agricultura visitará Santa Catarina para avaliar os impactos da estiagem no meio rural

9860

Nessa semana, a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, e o governador Carlos Moisés estarão em Chapecó para encontro com prefeitos e lideranças do agronegócio catarinense. A intenção é apresentar medidas de apoio aos produtores rurais atingidos pela estiagem. O evento está agendado para quarta-feira, 12, às 16h, no Centro de Cultura e Eventos Plínio Arlindo De Nes.

“A ministra aceitou o nosso convite e virá a Santa Catarina para acompanhar de perto os impactos da estiagem. Em três anos, o Governo do Estado investirá mais de R$ 300 milhões para incentivar a reserva de água nas propriedades rurais catarinenses. Temos programas com condições especiais e grandes descontos, criando as condições necessárias para que cada propriedade rural faça seu sistema de captação de armazenagem de água, além da proteção de fontes e nascentes. Nós criamos ações efetivas, com soluções de longo prazo. Um trabalho que continua e recebe agora o reforço da ministra em Chapecó”, destaca o secretário de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural, Altair Silva.

Em 2022, o Programa SC Mais Solo e Água terá R$ 100 milhões disponíveis para ampliar a resistência hídrica no meio rural e minimizar os impactos das recorrentes estiagens. Além disso, existe a sinalização da Assembleia Legislativa de mais R$ 50 milhões para reforçar essas ações.

Este será o segundo ano consecutivo que o Governo destina recursos para o combate à estiagem. Em 2021, foram R$ 100 milhões em investimentos, que beneficiaram mais de 2,4 mil agricultores e 100 prefeituras. O Programa SC Mais Solo e Água possui linhas de apoio especiais com descontos que podem chegar a 75% do valor contratado no financiamento para construção de sistemas de armazenagem e distribuição de água.

Estiagem em Santa Catarina

A estiagem é causada pelo baixo volume de chuvas nas regiões Extremo Oeste, Oeste e Meio Oeste de Santa Catarina. A média atual de precipitações nesses locais é de, respectivamente, 20, 31 e 46 milímetros. Sendo que o esperado seria uma média em torno de 150 mm.

A principal preocupação do setor produtivo é a quebra na safra de milho – tanto milho grão quanto silagem – que deve impactar diretamente as cadeias produtivas de carne e leite. De acordo com as informações da Epagri/Cepa, a colheita estadual deve ter uma redução de 12,2%, sendo que nas regiões Oeste e Extremo Oeste algumas lavouras tiveram perdas de até 50%. Até o momento, as perdas são avaliadas em R$ 1,2 bilhão no meio rural catarinense.