CHAPECÓ
Destaques Mulher pode ter sdido morta a marteladas e teve corpo carbonizado em...

Mulher pode ter sdido morta a marteladas e teve corpo carbonizado em Dionísio Cerqueira

9068

A Polícia Civil de Dionísio Cerqueira/SC possui os primeiros detalhes que demonstram a possível motivação do assassinato da colaboradora terceirizada do Fórum da comarca de Dionísio, Cleci Kehl, aos 34 anos de idade. Ela deixa duas filhas, uma de seis anos e outra de 15 anos de idade.

No início da manhã desta quinta-feira, 06, o Samu foi acionado por populares para atender um homem, 42 anos de idade, encontrado ferido às margens de uma estrada na comunidade do Distrito de São Pedro Tobias, interior do município de Dionísio Cerqueira. O carro destruído pelo fogo foi encontrado no pátio de uma propriedade privada, nas proximidades de uma cachoeira

O homem, companheiro da vítima, tinha sido encontrado com queimaduras de segundo e terceiro graus com mais de 60% de seu corpo queimado e ferimentos na cabeça. Na tarde desta quinta, o suspeito de assassinar a companheira passou por procedimento cirúrgico e foi internado na UTI do Hospital Regional de São Miguel do Oeste. Ele corre risco de morte.

À Peperi, o delegado da Polícia Civil de Dionísio Cerqueira, Claudir Stang, responsável pelas investigações, informou que Cleci Kehl possivelmente foi morta na sua casa e levada à comunidade onde foi encontrada, no interior do veículo Gol, o seu corpo já carbonizado restando praticamente ossos. No Hospital de Dionísio Cerqueira, o suspeito relatou ao delegado que havia matado a sua esposa e na sequência tentado suicídio. Claudir ainda comentou que o homem havia ficado dentro do veículo enquanto o mesmo pegava fogo, mas logo acabou saindo do automóvel

De acordo com o delegado, a suspeita é que o possível autor utilizou um martelo ou algum outro objeto similar para cometer o assassinato, contudo, a confirmação virá após os laudos periciais. A motivação do assassinato, conforme o delegado, aparentemente foi causado por ciúmes da vítima. Mas Stang também disse que o casal não tinha histórico de boletins por discussões ou algo similar. Para apurar este e demais fatos, a Polícia Civil ouviu testemunhas e pretende ouvir o suposto autor do homicídio, se ele resistir aos ferimentos.

Claudir informou que até a próxima semana pretende concluir o caso Cleci e encaminhar os documentos ao Judiciário para os demais procedimentos.

Fonte: Peperi