Por: bw2 | 09/04/2015

O canal francês TV5Monde foi alvo de um ataque hacker na quarta-feira à noite e permanece fora do ar nesta quinta-feira. Por volta das 22h de Paris (17h de Brasília), as transmissões foram interrompidas e substituídas por uma tela escura nos 11 canais da TV5Monde. Os autores do ataque alegam pertencer ao grupo Estado Islâmico (EI),
Califado do Terror: um retrato do Estado Islâmico, grupo extremista que assusta o mundo
O que é e o que quer o Estado Islâmico
Atentado a sede de revista francesa deixa 12 mortos
De acordo com o primeiro-ministro francês Manuel Valls, a ação de hackers contra a TV5 é um “atentado inaceitável à liberdade de informação e de expressão”. O ministro do Interior, Bernard Cazeneuve, a ministra da Cultura, Fleur Pellerin, e o chanceler Laurent Fabius compareceram à sede da TV5Monde em Paris na manhã desta quinta-feira.
O canal de televisão também perdeu o controle de suas páginas no Facebook, de suas contas no Twitter e de seus portais de internet, nos quais os hackers publicaram reivindicações do Estado Islâmico.
– É um ciberataque extremamente preciso e potente – declarou Yves Bigot, diretor geral da TV5Monde.
– A partir das 5h (meia noite de Brasília), conseguimos exibir um programa único na totalidade de nossos canais. Até agora não podemos produzir nossos próprios noticiários e a situação não será restabelecida antes das 14h (9h de Brasília) – completou.
Além de não conseguir transmitir programas, todos os serviços digitais da empresa, como e-mails, estão bloqueados. Durante a madrugada, o canal recuperou o controle do Facebook e Twitter, mas o portal na internet permanecia “em manutenção”.Ameaças a soldados
Documentos como carteiras de identidade e currículos de parentes de soldados franceses envolvidos nas operações contra o EI foram postados na conta do Facebook da TV5 Monde.
– Soldados da França, fiquem longe do Estado Islâmico! Vocês têm a chance de salvar suas famílias, aproveitem – afirmava uma mensagem no Facebook.
– Em nome de Alá, o clemente, o todo misericordioso, o CyberCaliphate continua a liderar sua cyberjihad contra os inimigos do Estado Islâmico – completava a nota.
A mensagem acusa o presidente francês, François Hollande, de ter cometido “um erro imperdoável” travando “uma guerra que não serve para nada” e diz que o grupo “ainda está procurando as famílias de militares que se venderam para os americanos”.
– Por isso que os franceses receberam o presente de janeiro na (revista) Charlie Hebdo e no (supermercado) Hyper Casher – completava o texto, em referência aos atentados contra a revista satírica e a loja de produtos judaicos que deixaram 17 mortos em Paris entre os dias 7 e 9 de janeiro.
Guerra contra o terror
A França faz parte de uma coalizão internacional militar contra o Estado Islâmico liderada pelos Estados Unidos, que há vários meses realiza bombardeios aéreos no Iraque e na Síria, onde o EI assumiu o controle de vastas áreas e declarou um “califado”.
Canal internacional de televisão em francês com sede em Paris, a TV5 Monde é transmitida em mais de 200 países ao redor do mundo.

*AFP