CHAPECÓ
Notícias Núcleo de operações com cães da Polícia Civil de São Miguel do...

Núcleo de operações com cães da Polícia Civil de São Miguel do Oeste completa tês meses de funcionamento

8298

Cumpre informar que o Núcleo de Operações com Cães de São Miguel do Oeste, integrante da Coordenadoria de Operações Policiais com Cães da Polícia civil de Santa Catarina (COPC), completa, neste mês de fevereiro, 03 meses de sua ativação (18/11/2021),
Em curto período, o Núcleo contabilizou a participação em 03 etapas da Operação Hórus do Ministério da Justiça, nas cidades de São Lourenço do Oeste, Pinhalzinho e Maravilha, além de ter atuado na Operação Ágata do final de 2021, coordenada pelo Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA).
O foco principal das atividades é o fortalecimento do combate ao crime organizado e crimes afins na região de fronteira de Santa Catarina.
Além de participar de operações de grande vulto e treinamento constante, os Policiais integrantes do Núcleo têm participado de diversas operações policiais na região de fronteira, com demandas quase diárias de apoio, totalizando, nestes 03 meses, 43 apoios especializados (desconsiderando atividades da Operação Ágata), incluindo neste número, cumprimentos de mandados de busca e apreensão, abordagens em rodovias, fiscalização de estabelecimentos comerciais suspeitos, fiscalização em rodoviárias, entre outros atividades.
No decorrer da semana, o Núcleo de Operações com Cães de São Miguel do Oeste (NOC), participou de três operações na região extremo-oeste, sendo duas delas em São Miguel do Oeste e uma em Anchieta.
Em São Miguel do Oeste, em auxílio à Delegacia de Comarca (DPCo/Fron) foi dado cumprimento a um mandado de busca e apreensão expedido pelo Poder Judiciário, sendo que nas diligências foram encontradas e apreendidas uma espingarda calibre 12ga, uma pistola calibre 9mm, 136 de munições e 122 cápsulas deflagradas.
Na cidade de Anchieta, por sua vez, auxiliando a Delegacia de Comarca (DPCo/Fron) deste município, foi dado cumprimento a um mandado de busca e apreensão expedido pelo Poder Judiciário, sendo localizadas uma arma de fogo e munições.
Em ambos os casos, os suspeitos responderão a inquéritos policiais que tramitam nas respectivas unidades.
Atualmente, o NOC de São Miguel do Oeste conta com apenas um cão de faro, a já conhecida Dakota, mas almeja-se a ampliação dos trabalhos com a compra de mais dois cães, com previsão de sua licitação para março de 2022.
Segundo o Coordenador de Operações Policiais com Cães, Delegado Ronaldo Neckel Moretto, a implementação do NOC de São Miguel do Oeste é estratégico para a Segurança Pública do Estado de Santa Catarina. Situado na região de fronteira do Estado, com atribuição de atuação em diferentes rotas e acessos para a Argentina e o Paraguai, o Núcleo está capacitado para a detecção de drogas e armas, com o emprego de cães. Para além, trata-se de importante incremento para as forças policiais que atuam no Extremo Oeste Catarinense, eis que a Região da 13a DRP ainda não possuía a disponibilidade exclusiva de tal serviço em sua área de abrangência.
O Delegado Regional da 13ª DRP, Wesley Almeida Andrade, frisou que “os dados estatísticos demonstram o quão significativo o Núcleo de Operações com Cães representa para a função de Polícia Judiciária, notadamente quanto à repressão a infrações penais. E a tendência é otimizar ainda mais o serviço especializado. Com apoio da comunidade, Poder Judiciário, Ministério Público, Poderes Executivo e Legislativo Estadual e Municipal, bem como de empresas e empresários, espera-se que, no decorrer do ano, a sede do Núcleo esteja em condições para funcionamento, local que deverá servir de referência a todos os Núcleos do Estado de Santa Catarina”.
Lembramos que o Núcleo de Operações com Cães de São Miguel do Oeste tem contado com o apoio de diversos entes e populares, tanto com a doação de terreno para as instalações físicas, o qual foi destinado pela Prefeitura Municipal de São Miguel do Oeste/SC, bem como com auxílio financeiro do Poder Judiciário de São Miguel do Oeste e do Ministério Público desta mesma Comarca, os quais juntos tornam possível a ampliação do número dos cães em atividade. Além disso, o Núcleo recebeu diversas doações de empresas e pessoas físicas locais, no intuito de angariar materiais para a construção da base operacional do núcleo.
No ponto, digno de nota que a Universidade do Oeste de Santa Catarina, por meio da Vice-Reitoria local, colocou à disposição da Polícia Civil os serviços médicos veterinários prestados no âmbito do Hospital Veterinário da referida instituição de ensino, imprescindível para os cuidados do cão policial.
Os referidos apoios mostram o compromisso da sociedade catarinense no fortalecimento da segurança pública, baseada na previsão constitucional disposta no Art. 144 de nossa Constituição da República.
É a Polícia Civil de Santa Catarina em busca por evolução e excelência técnica no cumprimento de suas atribuições para a segurança de nossa população e fortalecimento de nosso Estado.