O Índio Condá foi um herói ou um bandido?

462

Certamente você já ouviu falar em Vitorino Condá, não? E em Índio Condá? Este é um personagem real da nossa história.

Foi um dos grandes líderes do povo Kaingang no Oeste de Santa Catarina. Diz a história que o cacique lutou junto ao Governo Federal para que seu povo tivesse direito à terra. Os colonizadores que chegavam na região iam se apossando das terras, depois indo atrás da titulação do governo.

Quem gosta de futebol sabe que o nome do estádio da Chapecoense é Arena Condá, uma homenagem a um índio kaingang que ajudou seu povo a conquistar terras. É o mesmo personagem.

Nascido em 1905 o líder Kaingang, filho de um homem que ajudava militares, passava a fazer amizades que marcariam sua vida.

Um dos aspectos que chama a atenção era que Condá não possuía residência física em Chapecó. Vitorino atuava muito na cidade de Nonoai, no Rio Grande do Sul. Dois anos após o kaingang estabelecer um aldeiamento provisório em Chapecó, chegava na cidade o primeiro homem branco. Era Jose Raimundo Fortes.

Passo dos índios, como a cidade de Chapecó era chamada, já reunia três povoados, entre eles Rodeio Chato, Palmital e Alegria. Os três povoados passaram a se chamar de Xapeco (assim mesmo, com X) e, após um tempo, o nome passou a ser escrito com a grafia atual.

Muitos aceitam essa história com a verdadeira. Já outros entendem que Vitorino não era tão bonzinho assim e que por trás de suas ações, havia interesses obscuros. Com certeza, Condá ainda é uma figura controversa da história regional.

Para responder a pergunta inicial, convidamos o escritor Marco Aurélio Nedel, autor do livro “Condá, o Imperador do Oeste”. Nedel responde, baseado em suas pesquisas, se Vitorino Condá foi herói ou bandido? Assista ao vídeo.

Fonte: Rádio Chapecó