CHAPECÓ
Notícias Oito milhões terão que atualizar cadastro para receber Auxílio Brasil

Oito milhões terão que atualizar cadastro para receber Auxílio Brasil

8714
Os beneficiários do Auxílio Brasil deverão atualizar as informações no CadÚnico (Cadastro Único do governo federal) para continuar a receber o pagamento. Ao todo, são 8 milhões de pessoas que precisam fazer a averiguação ou revisão cadastral de 2022, entre beneficiários do Auxílio Brasil, da Tarifa Social de Energia Elétrica e do BPC (Benefício de Prestação Continuada).

Atualmento, o Auxílio Brasil é pago a 18 milhões de famílias, que recebem parcelas mensais de R$ 400.

As famílias beneficiárias do auxílio ou da tarifa social que possuem dados inconsistentes e foram incluídas na averiguação cadastral têm até julho para atualizar os dados e evitar o cancelamento dos benefícios. Já as famílias da revisão cadastral, que estão com informações cadastrais desatualizadas, têm até dezembro para regularizar os registros.
“O objetivo do Ministério da Cidadania é garantir o Cadastro Único como porta de entrada para que as famílias acessem benefícios sociais que promovam a transformação de suas vidas. Por isso, é fundamental que elas mantenham o cadastro atualizado, para que continuem recebendo os benefícios sociais, como o Auxílio Brasil”, ressalta o ministro da Cidadania, Ronaldo Bento.

A atualização cadastral é fundamental para assegurar a qualidade dos dados e garantir que as informações registradas na base do Cadastro Único estejam sempre de acordo com a realidade das famílias.
“Por meio dos processos de atualização cadastral, o Ministério da Cidadania garante que o Cadastro Único possa ser utilizado com segurança pelos órgãos públicos para destinar benefícios e serviços à população”, esclarece o secretário executivo do Ministério da Cidadania, Luiz Galvão.

Por regra, as famílias inscritas no Cadastro Único devem atualizar as informações a cada dois anos, ou sempre que houver alguma alteração, seja na composição familiar, no endereço ou na situação de trabalho e renda de seus membros. 
Com os impactos da pandemia de Covid-19, o Ministério da Cidadania escalonou o processo de revisão cadastral. Neste ano, apenas as famílias com cadastros que foram atualizados pela última vez em 2016 ou 2017 serão convocadas para atualizar os dados no Cadastro Único. As famílias que atualizaram seus dados pela última vez em 2018 ou 2019 serão convocadas nos próximos anos.

Como fazer

O aplicativo do Cadastro Único é uma das ferramentas para que as famílias cadastradas possam conferir se os dados estão atualizados. Além disso, as famílias beneficiárias do Auxílio Brasil receberão mensagens no extrato de pagamento do benefício e pelo aplicativo do programa. Já os beneficiários da tarifa social podem receber comunicados por mensagem na conta de energia elétrica.
Caso não tenha ocorrido nenhuma alteração nas informações prestadas na última entrevista, a família beneficiária poderá também fazer a atualização dos dados por confirmação pelo aplicativo do Cadastro Único. Porém, se for preciso alterar algum dado, é necessário comparecer a um posto de cadastramento para uma nova entrevista de atualização cadastral.

“O lançamento do aplicativo do Cadastro Único permite que as famílias que não tiveram nenhuma alteração de endereço, renda ou composição familiar, por exemplo, atualizem seu cadastro por confirmação sem sair de casa. Assim, elas não precisam se dirigir aos postos de cadastramento nos municípios, o que reduz os custos de deslocamento e dá mais fôlego para que as prefeituras concentrem o atendimento em quem mais precisa”, destaca o secretário nacional do Cadastro Único, Tércio Brandão.

Fonte: Correio do Povo com R7