CHAPECÓ
Geral Pai de menina de 11 anos que ficou seis dias desaparecida faz...

Pai de menina de 11 anos que ficou seis dias desaparecida faz alerta sobre redes sociais: ‘O amor de verdade está dentro de casa

9168
Pollyana Maciel, de 11 anos foi encontrada pela Polícia Civil no sábado (16) em uma pensão com um homem de 25 anos. Suspeito foi preso e poderá ser indiciado por subtração de incapaz e estupro de vulnerável.
Foram seis dias sem dormir e comer direito, foram longos dias procurando pistas da filha de 11 anos por todas as ruas e avenidas de Arapongas, no norte do Paraná. Ao ter a menina Pollyana nos braços, em casa e em segurança, o pai, Leandro Araújo Maciel, respira aliviado.
“Quando os policiais a encontraram e nos mandaram mensagem dizendo que ela estava bem, ficamos muito felizes, foi a melhor mensagem do ano.
Foram dias desesperadores e que deixam a lição de que o amor de verdade está dentro de casa”, disse.
Pollyana Araújo Maciel saiu de casa no dia 11 de outubro. O desaparecimento foi relatado à polícia pelo pai e a avó na tarde do mesmo dia quando não encontraram a menina em casa ou na casa de amigos.
No dia 13, agentes do Serviço de Investigação de Crianças Desaparecidas (Sicride) chegaram em Arapongas para investigar o desaparecimento, e no sábado (16) encontraram a criança em uma pensão com um homem de 25 anos.
À Polícia Civil, o homem afirmou que conheceu a menina nas redes sociais e que na conversa ela afirmou ter 15 anos.
De acordo com a delegada Patrícia Paz, a menina confirmou para os policiais que conheceu o rapaz nas redes sociais e o encontrou no dia 13.
“Ela contou que saiu de casa e ficou perambulando pela rua. Contou que só conhecia esse rapaz pelas redes sociais com quem estava conversando há algum tempo”, detalhou a delegada do Sicride.
A Polícia Civil localizou a menina analisando imagens de câmeras de segurança de imóveis localizados em vias por onde a criança passou.
investigação, o Sicride também utilizou rastros do sinal de celular de Pollyana registrados na rede de telefonia.
A menina foi encontrada sem sinais de violência física. Aos investigadores, a menina e o rapaz de 25 anos disseram que tiveram relações sexuais, ainda conforme a delegada Patrícia Paz.
A criança passará por exames do Instituto Médico-Legal que vão confirmar ou não o depoimento, se houver a confirmação, o rapaz, além de ser indiciado por subtração de incapaz, também poderá ser indiciado por estupro de vulnerável.
Alívio:
Em casa, o pai de Pollyana só pensa em estar com a filha e aproveitar esse momento em família.
“Era tudo o eu que queria, queria era ver ela. Nesse tempo que ficou desaparecida não sabia se ela estava se alimentando, se estava passando fome ou frio, se estava viva ou morta.
O desespero foi grande”, contou.
Leandro ainda faz um alerta aos pais de crianças e adolescentes.
“Hoje ela ainda está um pouco assustada, mas está bem. Isso mostra que os pais precisam monitorar muito os celulares dos filhos, todo cuidado é pouco.
Também é importante conversar bastante, agora, quero que esse homem pague pelo o que fez”, concluiu o pai de Pollyana.
(Fonte: G1Sudoeste PR)
Pode ser uma imagem de texto