Messi perde pênalti e Argentina empata com a Islândia

61

A Argentina tropeçou em sua estreia na Copa do Mundo de 2018. O empate em 1 a 1 com a Islândia na abertura do Grupo D neste sábado ainda teve um momento cruel para os argentinos. O craque Lionel Messi teve a chance de garantir a vitória em pênalti no segundo tempo, mas acabou parado pelo goleiro Halldorsson, o grande nome do jogo.

Os gols da partida saíram no primeiro tempo. Agüero abriu o placar para a Argentina e Finnbogason igualou logo em seguida. A Argentina volta a campo na próxima quinta-feira, às 15h, para encarar a Croácia. Na sexta, ao meio-dia, a Islândia encara a Nigéria.

O jogo

Satisfeito com o desempenho nos treinamentos, o técnico Jorge Sampaoli, afirmou na véspera da estreia da Argentina no Mundial que sua equipe mostraria logo no primeiro jogo que está pronta para ser protagonista na Rússia. Os primeiros 45 minutos do time argentino, porém, foram para a torcida ter pouco otimismo.

Como esperado, a Islândia iniciou a partida com uma marcação bem próxima da sua área dando campo para a Argentina, que valorizou muito a posse de bola – terminou o primeiro tempo com 79%. Mas no pouco tempo que teve a bola, os islandeses foram diretos para ameaçar o gol argentino. Ao todo, foram 10 finalizações da Islândia na etapa inicial.

Com Mascherano e Biglia como volantes, Lionel Messi teve dificuldade para encontrar um parceiro para trabalhar jogadas no meio-campo. O camisa 10 teve que partir para as individualidades e quase não encontrou espaço na forte marcação da Islândia. Mesmo assim, a Argentina conseguiu fazer um gol cedo. Aos 18, o zagueiro Rojo se projetou ao ataque e tocou para Agüero, que fez o giro e soltou uma bomba de perna esquerda para marcar o seu primeiro gol em Copas do Mundo e abrir o placar, 1 a 0.

O gol deveria dar tranquilidade para a Argentina, mas a vantagem durou pouco. Apenas quatro minutos depois, o goleiro Caballero se atrapalhou e não conseguiu afastar. Na sequência, ele deu rebote em chute cruzado e a bola caiu nos pés de Finnbogason, que aproveitou para igualar a partida, 1 a 1.

Com o empate, o cenário seguiu o mesmo de antes do gol de Agüero. A Islândia se fechou e a Argentina teve a bola, mas com poucas infiltrações. Messi conseguiu finalizar apenas de fora da área, mas parou em defesas de Halldórsson. Os islandeses ainda ameaçaram no último lance do primeiro tempo, quando Caballero novamente mostrou insegurança ao dar rebote.

Apesar da atuação fraca, a Argentina voltou sem mudanças para o segundo tempo. O time, no entanto, seguiu com dificuldades e Sampaoli mexeu aos 12 minutos com a entrada de Banega, um meio-campista mais ofensivo, no lugar de Biglia. A tentativa do treinador era ter um segundo armador mais próximo de Messi. Na etapa final, a Islândia se postou mais atrás e já não ameaçava o goleiro Caballero.

Argentina sem espaços

Toda no campo de defesa, a Islândia não dava espaços para a Argentina, que acabou recebendo uma grande chance para o marcar. Aos 19 minutos, Messi lançou dentro da área para Meza, que foi derrubado. Era a chance de ouro para os argentinos, mas aconteceu o que poucos imaginavam. Lionel Messi bateu a penalidade e o goleiro Halldorsson fez a defesa para se tornar o grande nome do jogo.

O pênalti perdido deixou a Argentina ainda mais nervosa. Messi passou a tentar resolver sozinho para se redimir do pênalti perdido, mas não era seu dia. O camisa 10 sempre encontrava um desvio no caminho. Quando acertou um bom chute, a bola caprichosamente passou raspando à trave direita de Halldorsson.

Jorge Sampaoli ainda colocou mais dois atacantes em campo, Cristian Pavón e Higuaín. Pavón tentou na individualidade resolver. Acertou um belo chute aos 40 minutos e também parou em Halldorsson, que fez outra grande defesa.

Os minutos finais da partida foram de pressão total da Argentina. Messi ainda teve uma falta no último lance do jogo. Bateu mal e acertou a barreira. O empate com a Islândia acabou sendo mais um capítulo da série de frustrações do craque com a camisa de sua seleção.