CHAPECÓ

    PINHALZINHO – Polícia Civil realiza reconstituição de homicídio

    7

    A Polícia Civil, por meio da Delegacia de Fronteira de Pinhalzinho/SC, em conjunto com o Instituto Geral de Perícias (IGP), nesta quinta-feira, 25, procedeu à reprodução simulada do homicídio de um homem, de 47 anos, e das tentativas de homicídio de outros familiares, que ocorreram na noite do dia 31 de dezembro de 2017, na Linha Boa Vista, interior de Pinhalzinho.

    De acordo com o Delegado, Arthur Lopes, em que pese o autor dos fatos já ter sido denunciado, a reprodução simulada dos fatos foi realizada no local do crime, com base nas versões apresentadas pelas vítimas sobreviventes, nas provas periciais e em outros elementos informativos colhidos no inquérito policial, no intuito de solidificar o entendimento da dinâmica do crime, visando suprir eventuais lacunas.

    Segundo o Delegado, a reprodução simulada dos fatos busca dirimir algumas contradições que existem entre as versões que foram apresentadas pelo autor durante a investigação e melhor subsidiar o Ministério Público nesta fase do processo. “A diligência contou com a presença do réu que, acompanhado e orientado por seu advogado, reservou-se ao direito de não participar dos trabalhos. Concomitantemente, foram realizadas buscas pela arma de fogo utilizada no crime, por meio do Canil de Fronteira de São Lourenço do Oeste, pela segunda vez, utilizando-se de cão de faro, nos locais indicados pelo autor quando da sua confissão em interrogatório no dia em que foi preso”, explica.
    Entenda o Caso:

    A Polícia Civil, através da Delegacia de Fronteira de Pinhalzinho, esclareceu, ainda na madrugada dessa terça-feira, 02, o homicídio qualificado praticado em desfavor de um homem, de 47, e as tentativas de homicídio qualificado praticadas contra outros cinco membros da família, na Linha Boa Vista, interior de Pinhalzinho.
    De acordo com o Delegado Arthur Lopes, que coordenou as investigações, a prisão preventiva do investigado decorre de apuração que aponta cabalmente a autoria do homicídio. “Naquela noite, em torno de 22h20min do dia 31/12/2017, poucos minutos antes da virada de ano, as vítimas foram surpreendidas por um homem encapuzado que efetuou diversos disparos de pistola calibre 9mm enquanto estavam reunidos na entrada da residência. O autor fugiu logo em seguida”, explica.

    A partir das oitivas preliminares das vítimas sobreviventes ainda hospitalizadas, foi possível estabelecer uma linha de investigação objetivando identificar a vida pregressa das vítimas e suspeitos, a fim de apurar a motivação desse crime bárbaro.
    A vítima foi socorrida, mas veio a óbito no hospital.

    Apurou-se na investigação que havia grande animosidade entre autor e a vítima falecida, em razão de brigas e disputas familiares.
    Interrogado inicialmente, o investigado, de 23 anos, que é sobrinho da vítima, negou a prática do crime. Porém, confrontado com os elementos informativos colhidos pelos agentes de investigação, nas últimas 24 horas, pediu a presença de advogado e confessou a prática do crime, detalhando minuciosamente o modus operandi.

    Por razão do interrogatório, o autor foi indiciado de forma direta pelo Delegado pelos crimes de homicídio qualificado por motivo fútil e mediante recurso que dificulte ou torne impossível a defesa do ofendido (art. 121, § 2º, II e IV, do CP) e pelas tentativas.
    O preso foi encaminhado à Unidade Prisional Avançada (UPA) de Maravilha.

    Fonte: Polícia Civil