Polícia Civil do Estado de Santa Catarina deflagra operação “SCURRA” e cumpre mais de 100 ordens judiciais

Integrantes da facção criminosa que atuava em Santa Catarina e em outros Estados utilizavam até helicóptero no transporte de materiais.

9000

A Polícia Civil do Estado de Santa Catarina, por meio da Delegacia de Combate às Drogas da Capital (DECOD) deflagrou, no amanhecer desta sexta-feira (3) a operação SCURRA, cumprindo aproximadamente 100 ordens judiciais, dentre elas 42 mandados de busca e apreensão e mais de 50 mandados de prisão temporária que estão sendo cumpridos nas cidades de: Florianópolis, São José, Palhoça, Biguaçu, Governador Celso Ramos, Porto Belo, Balneário Camboriú, Camboriú, Itajaí, Navegantes, Blumenau, Itajaí, Tubarão, Laguna, Rio Fortuna, São José dos Pinhais/PR e Naviraí no Mato Grosso do Sul.

A investigação surgiu a partir do aumento da violência na região do Monte Verde, em Florianópolis, em 2018.

Participaram da operação mais de 200 policiais civis, sendo eles das unidades da Diretoria de Polícia da Grande Florianópolis, Regionais de Joinville, Itajaí, Balneário de Camboriú, Laguna, Blumenau e Tubarão, CORE, SAER e CANIL, além de policiais civis do Paraná, Mato Grosso do Sul, Policia Rodoviária Federal e Secretaria de Estado da Administração Prisional e Socioeducativa.

De acordo com delegado responsável pela Delegacia de Combate às Drogas (DECOD), Walter Loyola, ao longo de dois anos de investigações foram analisadas aproximadamente 600 mil ligações, mensagens de texto e outras interações entre os investigados, descobrindo-se, assim, diversos núcleos de integrantes de uma facção criminosa que atuava em Santa Catarina e tinham conexões com diversos outros Estados. Para o transporte do material ilícito, os investigados faziam uso dos mais diversos meios, inclusive, de um helicóptero.

Para financiar suas atividades criminosas atuavam em diversas frentes, cometendo crimes como roubos de veículos de alto luxo, crimes contra o sistema financeiro, furtos em imóveis de alto padrão, homicídios e outros, advindo dessa situação o nome da operação, pois SCURRA, em latim significa curinga, ou seja, aquele individuo versátil que atua em diversas funções.

No curso das investigações, alguns dos investigados foram presos em flagrante.

O material angariado no curso do procedimento também flagrou ações criminosas que tinham como alvo outros Estados, tais como São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Rio Grande do Sul e outros, esses elementos serão compartilhados com as autoridades competentes desses locais.