Recomendações sobre a volta aos esportes pós-pandemia

Com flexibilização e a volta das atividades esportivas, os atletas não estão com o mesmo porte físico como antes da pandemia, e isso pode causar lesões.

8780

A pandemia deixou a população isolada em casa e as práticas de esporte foram suspensas. Agora com a flexibilização e a volta das atividades esportivas, os atletas não estão com o mesmo porte físico como antes da pandemia, e isso pode causar lesões. O ortopedista, Mauricio Fabiani, explica que existem três estágios básicos para volta das atividades, como o autoconhecimento, a preparação física e a preparação técnica ao esporte.

Dr Mauricio destaca que agora é a hora de fazer um check-up, envolvendo avaliação cardiorrespiratória com exames laboratoriais a fim de avaliar o funcionamento dos mais diversos órgãos, hormônios e níveis de colesterol. Os testes cardiológicos são de suma importância, além de servirem para detectar uma possível doença cardíaca que pode ter ficado latente durante a pandemia.

Outro ponto importante é o condicionamento físico para determinado esporte, realizado por um preparador físico experiente. Um estudo realizado por integrantes da equipe médica do time francês de futebol Paris Saint-Germain em conjunto com pesquisadores do Aspetar Sports and Orthopedics Hospital, de Doha, no Catar, e também com o time de futebol italiano Inter de Milão, orientou diversas atividades para que a volta dos atletas fosse segura e que aos poucos os mesmos recuperem seu desempenho habitual. No trabalho, os pesquisadores recomendam série de treinos específicos para a prevenção de lesões, com monitoramento cuidadoso na carga utilizada, além de exercícios aeróbicos, de resistência, velocidade e flexibilidade.

As pessoas que adoeceram, segundo o ortopedista, devem procurar consulta especializada para investigar possíveis sequelas cardiológicas, com incidência em 10 a 12% dos adoentados. Mas o recomendado é que espere pelo menos 45 dias do início dos sintomas ou da contaminação, e não sinta mais nenhum sintoma.

Já quem não teve nada e se manteve sob um mínimo de exercícios na quarentena, é recomendado a busca de um profissional de educação física e leve em consideração as condições físicas atuais e não as antigas. “Quando falamos de uma retomada de atividade física, é importante deixar de lado as preocupações com peso e estar em forma, e sim ficar atento aos riscos de se machucar na retomada dos esportes”, informa Mauricio.

Foto Oh Fotografias /Ortopedista, Dr Mauricio Fabiani

Darlei Luan Lottermann