Replanejamento financeiro, comunicação e tecnologia ajudam a enfrentar crise

8648

Para auxiliar pessoa física e jurídica no enfrentamento da crise provocada pela pandemia do novo coronavírus, três pilares são fundamentais: replanejamento financeiro, comunicação e tecnologia. As orientações foram explanadas, nesta semana, em live da Sicredi Região da Produção RS/SC/MG. O evento online foi mediado pelo gerente da Agência Centro Chapecó, Claucus Valdameri, e pelo especialista em gestão financeira e consultor do Sebrae/SC, Rômulo Baldissera.

A análise do cenário econômico em comparação com outros períodos de crise no Brasil é indispensável para desenvolver estratégias. “Não enfrentamos nada parecido no País nos últimos anos. Os indicadores até março eram positivos, projetavam crescimento de até 4% no Produto Interno Bruto (PIB), mas agora tivemos uma reviravolta. A pandemia é uma nova experiência e a saúde é o principal fator que ocasiona essa instabilidade, principalmente no comércio, e dificulta novas projeções”, destacou Baldissera.

O primeiro passo para superar este período é conhecer as necessidades da empresa, explorar as possibilidades e expor os empecilhos do negócio para pessoas de confiança e especialistas em finanças, dispostos a sugerir  e alertar sobre os impactos na renda e na qualidade de vida dos familiares. “A crise reflete tanto para estabelecimentos quanto para trabalhadores. Se o empregador não obtém bons resultados, as conseqüências são o aumento dos cortes, dos índices de desemprego e da redução salarial. Por isso, é o momento de unirmos forças”, salientou o gerente da Agência Centro da Sicredi em Chapecó.

Outro fator importante é o diagnóstico financeiro. A orientação é listar as despesas e receitas, separar por categorias (educação, saúde, transporte, cartão de crédito e outros), e criar uma rotina de análise.

“No fim do ano temos o hábito de traçar metas. Com a pandemia esse costume precisa se tornar uma prática constante. É necessário observar os números semanais e mensais do negócio, acompanhar as mudanças e ficar atento às oportunidades. Também é preciso identificar e solucionar problemas. Muitas empresas pagam impostos errados e esses gastos desnecessários refletem no comportamento e no produto final do consumidor”, explicou o consultor do Sebrae.

A comunicação faz parte dessa reorganização. Depois de concluído o diagnóstico é possível identificar os serviços e produtos essenciais. Os empresários podem também negociar com fornecedores e parceiros, ampliando as condições de pagamento para os seus clientes. O mesmo vale para os consumidores. “Muitas vezes os empreendedores buscam recursos que não suprem suas necessidades, que podem ser resolvidas com diálogo e estratégias rápidas e fáceis”, ressaltou Valdameri.

CONECTA

O gerente da Sicredi complementou que é comum enfrentarmos meses difíceis e destacou que os empresários devem planejar as reservas. “Os produtores rurais são exemplos excelentes, pois, como dependem também de fatores climáticos, simulam crises que podem ser ocasionadas pela estiagem. Essa é a disciplina que outros empreendedores devem adotar. Caso não utilizado para emergências, esse caixa pode contribuir para investimentos futuros, como no desenvolvimento de softwares e equipamentos”, explicou.

            A tecnologia é uma grande aliada dos negócios e influencia no comportamento do consumidor. A pandemia transformou as formas de contratar serviços e adquirir roupas e alimentos. A expectativa é que os consumidores continuem a explorar os aplicativos de compra e venda, o delivery e o drive-thru, reduzindo os métodos tradicionais de aguardar os clientes no espaço físico. “A população precisou se adaptar rápido às ferramentas digitais e às mídias sociais. Quando passarmos deste período conturbado a maioria adotará a cultura e investirá em plataformas online, resultado do aprendizado e da inovação da crise e do receio de viver situações parecidas”, enalteceu o consultor do Sebrae.

            Para auxiliar os associados, o Sicredi criou o aplicativo Conecta, com o objetivo de fomentar as vendas dos empreendedores e facilitar a compra pela plataforma, que funciona como uma vitrine virtual. “Para superarmos a pandemia e recuperarmos a economia, é indispensável valorizarmos os negócios locais. Este período nos ensina que é perigoso não se reinventar. Não dá para enfrentar crises nos modelo de consumo passado. Vivemos um momento digital favorável para discutir esses assuntos. Os empresários devem aproveitar o aprendizado, utilizar o crédito consciente e inovar para gerar receita”, concluiu Valdameri.

Fonte: MB Informações