CHAPECÓ
Início Notícias Sindipostos e Procon se reúnem para debate sobre preço do diesel

Sindipostos e Procon se reúnem para debate sobre preço do diesel

59
Divulgação/Assessoria Sindipostos

Chapecó/SC – O Sindipostos e o Procon se reuniram para debater sobre os preços dos postos de combustível de Chapecó e a venda de óleo diesel. O encontro encaminhou alinhamento na comercialização, devido à redução de R$ 0,46 no litro do combustível anunciada pelo governo.

O vice-presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo, Asilir Dallacort, disse que o valor integral do desconto “não está chegado aos postos”. Com o imposto que recai sobre a redução, o desconto fica em R$ 0,41. No entanto, os postos precisam praticaro valor cheio na bomba. Isso tem causado revolta e até desespero por que as empresas estão trabalhando no vermelho.

Dallacort explica que a posição atual fragiliza e agrava a situação devido as baixas margens de lucro que não cobrem as despesas, diz o empresário. Dallacort admite que a conjuntura atual  perigosa e desagradável e vai determinar que muitos postos não vendam mais óleo diesel após findar os atuais estoques. A tendência é esta pelo menos até a retomada da estabilidade.

O coordenador executivo do Procon Paulo Balancelli defendeu na reunião com os empresários do setor diálogo e bom senso como fatores que determinarão a superação das adversidades que considera temporárias. O Procon, explicou, quer ajuda mútua para atender todos os lados e evitar reclamações dos consumidores. O trabalho em conjunto promove o alinhamento e exclui eventual denúncia, fiscalização ou autuação.

Procedimento adotado

A sugestão foi os postos exibirem nas bombas através de cartaz, adesivo ou modalidade semelhante, os valores praticados até o dia 21 de maio quando eclodiu a paralização dos motoristas e os atuais, considerando o desconto. O processo deve ser feito mediante protocolo da última nota fiscal, antes do movimento, e cópia do documento da compra atual com o valor reduzido pela distribuidora. Deve ser observado também o valor do frete. Esta redução servirá de base à fiscalização do Procon.

Sobre a gasolina não há maiores divergências. O preço é livre e cada posto decide o valor do litro sem, no entanto, praticar preços abusivos.