CHAPECÓ
Geral ST Genetics do Canadá conhece os resultados do Encadeamento Produtivo do agronegócio

ST Genetics do Canadá conhece os resultados do Encadeamento Produtivo do agronegócio

32

Acompanhados por representantes da DNA Genética do Brasil, a diretora geral da ST Genetic, Natália Rodrigues Simerd, e o geneticista responsável pelo programa de genética da empresa no Canadá, Dany Plourd, participaram na última semana de um encontro na sede da coordenadoria regional oeste do Sebrae/SC, onde conheceram detalhadamente o Projeto “Encadeamento Produtivo Cooperativa Aurora Alimentos – Sebrae: suínos, aves e leite” desenvolvido com a parceria de entidades e cooperativas.

A ST Genetics é uma indústria que produz sêmens sexados de bovino de leite e a DNA Genética é a representante dela na região Sul do Brasil. De acordo com o geneticista animal, diretor técnico da DNA Genética e responsável pela genética junto ao Conselho Gestor da Aurora, Celso Barbiero, o objetivo foi apresentar informações os projetos do Sebrae realizados em parceria com as cooperativas, em especial, os promovidos juntamente com a Aurora Alimentos e demonstrar os expressivos resultados obtidos. “A ideia é mostrar que temos um órgão público que faz financiamento junto aos produtores rurais para obter o melhoramento genético nas propriedades”, observou Barbiero.

Os canadenses ficaram surpresos, pois viajam pelo mundo todo e o Brasil é o primeiro país que há benefícios em 100% na leitura de um DNA junto aos criadores. “Isso é possível graças à parceria existente entre Sebrae e cooperativas do Sistema Aurora. Se não existisse esse apoio, certamente não teríamos chegado aos bons resultados que temos por meio do Projeto Encadeamento Produtivo”.

Durante a reunião, o coordenador regional oeste do Sebrae/SC, Enio Albérto Parmeggiani, explicou que o projeto inicia com identificação de gargalos e oportunidades atuais e futuras, indicação de fornecedores atuais e potenciais e segue com definição dos setores para as pequenas empresas. Entre os resultados estão o planejamento adequado, a melhoria da gestão, a implantação de novas tecnologias de produção e processos inovadores que possibilitaram elevar o grau de competitividade não somente da cadeia produtiva de leite como também de aves e suínos. Nos próximos dois anos, mais de 2.600 propriedades rurais dos três Estados do Sul e do Mato Grosso do Sul mediante investimentos de R$ 11 milhões.

A equipe da DMA e da ST Genetic também participou da reunião do grupo gestor do Modelo Genético Aurora (MGA) que debateu as diretrizes e fez uma avaliação das ações realizadas no oeste catarinense. “Esse trabalho vem sendo desenvolvido em parceria com a DNA, empresas de sêmen e genotipagem com apoio importante do Sebrae que tem nos dado um grande suporte. Iniciamos com 2.500 amostras em várias propriedades produtoras do sistema Aurora no oeste de Santa Catarina e os resultados são positivos”, salientou o coordenador de lácteos da Aurora Alimentos, Selvino Giesel.  

Durante a reunião, o geneticista Dany Plourd apresentou o trabalho realizado no Canadá e nos Estados Unidos. “Nos surpreendeu pela evolução e nos fez refletir o quanto precisamos andar, mas nos deixou felizes porque estamos um passo à frente de muitas empresas e setores no Brasil porque temos conhecimento, um modelo a seguir e um norte, o que é muito importante porque nos mostra o que precisamos para atender a demanda da indústria”, observou Giesel.

Ele destacou, ainda, que entre as inovações feitas no exterior está o levantamento da conversão alimentar dos animais que está ligada a vários setores do DNA. “Isso já está sendo estudado e em breve poderemos selecionar animais que sejam mais produtivos e eficientes na conversão alimentar. Essa evolução que estamos conseguindo mundo afora com estudos que essas empresas de genética estão desenvolvendo e que podem passar para nós é muito importante, mas para isso, precisávamos saber o que tínhamos de genética em nossa região. Graças a esse apoio do Sebrae temos mais de 4 mil amostras – índice bastante elevado de conhecimento e animais genotipados”.

PARCEIROS

O projeto é desenvolvido em Santa Catarina com as parcerias do Senar/SC, Sescoop/SC, Sicoob, Fundação Aury Luiz Bodanese, Cooperalfa, Itaipu, Auriverde, Coolacer, Copérdia, Caslo, Cooper A1, Coopervil e Cooper Campos. No Rio Grande do Sul, conta com a parceria da Alfa, A1 e Copérdia, e os parceiros do SICREDI/RS. No Paraná, podem participar as cooperativas Alfa, Copérdia, Camisc, Cocari e, no Mato Grosso do Sul, Coasgo e Alfa. No Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul, o programa também ocorrerá por meio das parcerias dos Estados e sob a coordenação das unidades federativas do Sistema Sebrae e da Cooperativa Aurora Alimentos. 

FONTE: MB

Secured By miniOrange